Carla Cabanas O que ficou do que foi – O álbum Martim Moniz

Carla Cabanas

O que ficou do que foi – O álbum Martim Moniz

No próximo dia 8 de Março, pelas 15h, no Museu da Cidade em Lisboa, inaugura a exposição individual de Carla Cabanas, O que ficou do que foi – O álbum Martim Moniz.
A artista explora a problemática da memória e da sua perda que a mutabilidade do tempo sempre transporta. Ora o museu é o lugar por excelência onde se tenta preservar, para transmitir às gerações futuras, os testemunhos do passado.
Um museu que pretende contar a evolução urbana de uma cidade investe, com este convite, numa nova leitura, passível de transmitir outras mensagens.
O veiculo comunicacional tanto pode ser a presença palpável de uma antiga maqueta de um território desaparecido, que antecede a exposição propriamente dita, como a visão pessoal de Carla Cabanas que nos leva por outros caminhos e nos possibilita relembrar o que foi. As imagens do arquivo fotográfico sobre as demolições de parte significativa da velha Mouraria serviram de mote a este percurso pessoal, onde a memória se esbate num processo criativo que nos põe em confronto com as nossas próprias lembranças afectivas em relação aos lugares.

Carla Cabanas (Lisboa, 1979)

Licenciou-se em Artes Plásticas na Escola Superior de Arte e Design, Caldas da Rainha em 2003. Concluiu o curso avançado da Escola Maumaus - Escola de Artes Visuais em 2004, em Lisboa. Em 2008, frequentou o curso de fotografia do Programa Gulbenkian Criatividade e Criação Artística. Em 2009 concluiu a Pós- graduação em Produção e Criação em Artes Tecnológicas na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, em Lisboa. O seu trabalho tem sido desenvolvido também em residências artísticas, nomeadamente: “MobileHome - Curso Experimental de Arte Contemporânea” no Lagar Portas do Céu, em Loulé, 2009; “Transitante: entre álbuns e arquivos” , Workshop Internacional de Artistas no Intendente, Lisboa, 2012. “Viagens Invisiveis”, São Tomé e Principe, 2013. Cabanas é actualmente artista residente no Carpe Diem Arte e Pesquisa em Lisboa, até junho de 2014. Ganhou uma Menção Honrosa no Premio de Fotografia Purificacion Garcia em 2012 e em 2005 o terceiro prémio de Pintura Ariane de Rothschild. Em 2010/2011 recebeu uma Bolsa do Programa INOV-Art do Ministério da Cultura de Portugal, para residir em Antuérpia e ser assistente de David Claerbout. Expõe regularmente desde 2000.
Das exposições individuais destacam-se: “Saudades e lagrimas são o unico lenitivo para a grande auzencia” na Galeria Carlos Carvalho - Arte Contemporânea em Lisboa, 2013; “O que ficou do que foi – O Álbum desconhecido” na Sala do Veado do Museu Nacional de História Natural e da Ciência em Lisboa, 2012; “Caixa da Memórias”, Espaço Propostas – Feira de Arte Lisboa’11, Lisboa; “Histórias sobre mim” na Galeria Magnética do Pavilhão 28 em Lisboa, 2010; “A casa onde nasci e outras histórias” na Galeria Carlos Carvalho - Arte Contemporânea em Lisboa, 2009; “Travel Pictures” no Atelier - Museu António Duarte nas Caldas da Rainha, 2008.

Inauguração: 8 de Março às 15h
De 8 de Março a 20 de Abril
Museu da Cidade: Campo Grande, Lisboa
Exposição patente até 20 de Abril de 2014
Horário: Terça-feira a Domingo, das 10h às 13h e 14h às 18h
Encerra à segunda-feira e feriados
 

File: 

Toggle collapsible region

desenvolvido por white imago