Mariana Viegas

Sou uma artista de Lisboa e trabalho essencialmente com fotografia. No meu trabalho exploro as relações entre paisagem, imagens, texto e monumentos culturais e individuais, questionando assim, como nos relacionamos com estes conceitos e que papel a fotografia e a documentação tem na sua tradução.

Fui bolseira da Fundação Gulbenkian para o programa Location 1 em Nova Iorque em 2006 e, em 2011, fui bolseira em Copenhaga na Fabriken for Kunstog Design. Exponho regularmente em Portugal e no estrangeiro e meu trabalho encontra-se em diversas colecçôes, entre as quais se destacam: NovoBanco, Museu de Arte do Rio, Rio de Janeiro e Leal Rios Foundation.

 

1. Mariana Viegas

Texto, fotografia, biografia, deslocação, tradução.

2. O que vês quando olhas para a tua obra?

A mesma fotografia repetida vezes sem conta.

3. Que elementos não podem faltar numa exposição tua?

Fotografia, imagens feitas por mim, ou não, e palavra.

4. O teu processo artístico em poucas palavras.

O meu processo artístico tem como base uma necessidade de organizar uma ideia. Partindo de uma pergunta ou frase chave.

5. Artistas vivos ou obras que são uma referência para ti.

Lourdes Castro, Ozu, Louise Bourgeois e outros.

6.Tendências que tens percebido ou acompanhado nas artes contemporâneas nos últimos 15 anos.

Mise-en-scene museologica.

7. O que é que tu colocarias no teu cabinet de curiosités?

Uma pequena escultura africana, fotografias e outras tralhas para alguns, tesouros para outros.

8. A experiencia como artista residente no CDAP.

Na exposição que fiz no CDAP, o Paulo Reis pediu-me que apresentasse o video "Why Monkeys Do Not Make Good Pets". Conversámos muito sobre este trabalho, levantando questões relacionadas com o pós-colonialismo e, a um nível mais pessoal, com as questões de ordem social que a sequencia de imagens dos macacos no zoo de Berlim sugerem.

Toggle collapsible region

desenvolvido por white imago