Notícias

Uma história da forma de Claire de Santa Coloma

A Sala de Leitura Paulo Reis recomenda o livro de uma das nossas artistas, Claire de Santa Coloma, que participou no 6º Programa de Exposições do Carpe Diem Arte e Pesquisa.

Uma história da forma é o registo fotográfico da exposição que a artista fez na galeria Progetti no Rio de Janeiro, em setembro de 2012.

O livro funciona como arquivo da classificação e a ordem na qual os objectos foram exibidos. É uma reflexão em redor da necessidade de classificação e de hierarquia aplicada de maneira puramente formal. O título remete para a História da Arte, ou neste caso, para a História da Escultura. Mas, na realidade, trata-se de uma possível história que implica a existência de muitas outras e que está longe de ser a única: uma tentativa de desconstrução da própria ideia de história.

Outros livros da mesma autora na nossa colecção: Guía práctica para hacer una escultura básica de madera.

 

 

Exposições de José Pedro Croft

Corpos duplos – Duplas imagens

(exposição individual)

14.11.2015 – 14.02.2016 | Capela do Morumbi, São Paulo, Brasil

http://www.museudacidade.sp.gov.br/exposicoes-expo.php?id=152

 

Bernd Lohaus, Carlo Guaita, José Pedro Croft, Gianni Caravaggio 

(exposição colectiva)

07.11.2015 – 16.01.2016 | Galerie Bernard Bouche, Paris, França

http://galeriebernardbouche.com/fr/expositions?type=&exhibition=164

 

As Casas na Colecção do CAM

(exposição colectiva)

20.11.2015 – 31.10.2016 | CAM, Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa

http://cam.gulbenkian.pt/CAM/pt/Exposicoes/EmExposicao/Exposicao?a=72729

Luisa Jacinto inaugura "the smell of the shadow" na Galeria Silvestre

[...] Casi siempre – si no siempre- las obras de Luísa Jacinto – ¡y el modo en que se expanden en las pequeñas dimensiones! – están en el mundo (de dichas obras) igual que el corazón se encuentra en el organismo. Casi siempre permitiendo una especie de ensayo pictórico – uno muy simple, con una o dos figuras – para brotar, reiteradamente, con la llegada de alguien que intenta y falla y titubea y recoge el silencio en el color del escaso espacio en el que él o ella está inserto (como un personaje sobre el escenario). Alguien que se encuentra en la aventura de otro y se mantiene en el error, y cayendo, perdiendo las palabras adecuadas sobre lo que realmente queremos y también, probablemente, sobre aquellos a los que amamos.

[...] La figuración de Luísa Jacinto constantemente dice: “Somos de este mundo, pero en este mundo nos sentimos extranjeros entre extranjeros”. Y, no obstante, gravita, casi siempre, sobre una aparente serenidad.

[...] Sus personajes, mucho más reales que idealizados, crecen alrededor de una paradoja: la posibilidad de lo imposible. (...) Y aun así, el objeto pintado es aparentemente inmóvil. Además todas estas figuras que están allí y aquí, por la experiencia de lo imposible, crean un encanto preciso que va (mucho) más allá del arte: de la ética, de la ley, de la política, de la responsabilidad, de la decisión. [...]”

João Miguel Fernandes Jorge

One Always Fails to Speak of What One Loves

En el catálogo “A single day is enough”, Museu Carlos Machado 2012.

Uma outra Lisboa de Rosa Reis

A Sala de Leitura Paulo Reis recomenda o livro de uma das nossas artistas, Rosa Reis, que apresentou o seu projecto Cumplicidades em 2012, no Carpe Diem Arte e Pesquisa.

Uma outra Lisboa é um projecto fotográfico desenvolvido em 2002 a convite da Photo Espanha para representar Portugal na inauguração do novo Espaço cultural “La casa Encendida” em Madrid. Este projecto teve em vista retratar uma Lisboa quase extinta, mas onde ainda se exprimem modos de viver e estar que outrora a caracterizavam. Não se trata de documentar uma cidade mas sim de traçar o percurso interior que se materializa neste espaço. Esta Lisboa de Rosa Reis abre-se sobre uma cidade a descobrir.

 

Outros livros da mesma autora na nossa colecção: Omnipresença; Jazz; Uma luz na Pólvora; Memórias de uma Indústria; O Homem e o Trabalho. Fotografias; Siderurgia Nacional: o tempo e a memória; Património e Indústria: o fascínio do encontro.

Edições em Nova Iorque

A colecção de Edições do Carpe Diem Arte e Pesquisa está de visita a Nova Iorque durante o mês de Novembro.

O projecto Múltiplos – Edições Carpe Diem nasceu no seguimento das primeiras exposições do Carpe Diem Arte e Pesquisa. Actualmente, a colecção conta com mais de 100 Edições e cresce a cada novo ciclo de expositivo.

As Edições Carpe Diem são trabalhos dos artistas que integram o programa curatorial do Carpe Diem Arte e Pesquisa. Cada Edição resulta da colaboração directa entre o artista e o Carpe Diem Arte e Pesquisa. As obras, em pequeno formato e com edição limitada de 30 exemplares (+ 3 Provas de Artista), são acompanhadas de um certificado que garante a autenticidade da obra.

Acessíveis e de qualidade, esta colecção de Edições visa impulsionar a emergência de novos coleccionadores de arte contemporânea, contribuindo para a continuidade e sustentabilidade do projecto expositivo.

Roland Barthes

Porque Barthes é insubstituível, a Sala de Leitura Paulo Reis recomenda a sua obra.

No mês de novembro comemoram-se os cem anos do nascimento do pensador francês, autor duma obra fundamental para o nosso modo de analisar e nomear o mundo no qual vivemos. Roland Barthes, cujos aportes à cultura contemporânea são essenciais, publicou mais de vinte estudos de semiótica estruturalista, análises criticas de obras literárias, ensaios e também livros sobre fotografia, artes visuais, música, cinema e vida quotidiana. Os seus interesses, sempre iluminados pelo interesse pessoal, transformaram-se em objecto de interesse público.

França já esta a organizar a exposição e os debates que se vão realizar na Biblioteca Nacional de Paris. Em conjunto serão publicados novos estudos sobre a sua obra e uma exaustiva biografia.

Livros disponíveis do autor na nossa Sala de Leitura: S/Z: An Essay e Mythologies. 

Painted! de Beate Gunther, Guillermo Kuitca e Richard Allen Morris

A Sala de Leitura Paulo Reis recomenda o catalogo Painted!

Este catalogo foi publicado em conjunto com a exposição Painted! dos artistas Beate Gunther, Guillermo Kuitca e Richard Allen Morris na Daros- Collections em Zurich, entre Outubro de 2008 e Fevereiro de 2009.

A exibição e o catalogo reúnem aos três artistas que, a través de diferentes estratégias, quebram e interrogam os limites da pintura.

Collected Short Stories de Daniel Blaufuks

A Sala de Leitura Paulo Reis recomenda o livro de um dos nossos artistas, Daniel Blaufuks, quem participou no 4º Programa de Exposições do Carpe Diem Arte e Pesquisa.

Nesta escrita de instantâneos são apresentadas trinta e um histórias assinaladas por duas experiências essenciais. A primeira é a viagem, a condição de exílio que traz uma fotografia em itinerância, em ausência de Portugal. A segunda é a escrita fotográfica assente em fragmentos visuais, de prosa snapshot que referenciam diferentes cenários que Blaufuks cria neste jogo de imagens. Um livro de fotografias que relata histórias curtas, compostas em nove países entre 2000 e 2002.

Este trabalho foi exposto no Centro de Arte Moderna da Fundação Gulbenkian em 2003.

 

Outros livros do mesmo autor na nossa colecção: Rio; Works on Memory. Selected writings and images; Álbum; Daniel Blaufuks; O Arquivo. Um álbum de textos e o livro de artista Uma viagem a São Petersburgo

Francisco Pinheiro inaugura WEST COAST - Mudar para que nada mude

Espaço Espelho d’Água convida para a inauguração da exposição WEST COAST - Mudar para que nada mude, de Francisco Pinheiro e Luísa Salvador.

Abertura, sexta-feira 13 nov 2015, às 19h30.

Exposição, 14 nov - 10 jan 2016, 11h - 24h.

Espaço Espelho d’Água | Av. Brasília S/N, Belém, Lisboa | t: +351 213 010 510 | www.espacoespelhodeagua.com | info@espacoespelhodeagua.com

 

West Coast é um colectivo fundado em 2014 por Francisco Pinheiro e Luísa Salvador.

Através da criação de um ciclo de exposições e projetos em correspondência com diferentes regiões costeiras de todo o mundo, West Coast pretende promover um espaço de debate. Tem, assim, como propósito identificar o que poderá ser uma linha costeira sem fronteiras.

Todas as luas cheias partilha-se algo, seja uma entrevista, um evento ou uma simples reflexão. Uma plataforma online para diferentes artistas, investigadores, ambientalistas e outros convidados falarem sobre diferentes tópicos desde arte a temas da actualidade.

Lançamento da revista Flan Zine #9+1

Quinta, 26 Novembro, 2015 - 21:00

A Flanzine entra no seu terceiro ano de vida com este falso número 10. O MENOS UM do tema é homenagem ao nosso presidente da república e à sua habilidade aritmética perante o ruir de uma ideia de Europa. Mas por detrás desta espécie de Guignol há um exército de guerrilheiros armados com as suas fórmulas de Excel e com os seus índices e estatísticas a disparar demagogia e retórica de vão de escada. Destina-se também a eles esta homenagem.

"É neste cenário de guerra que se propõe um jogo no escuro aos autores deste número. Para tal viajámos até à Odisseia de Homero, acompanhando Ulisses no seu regresso a Ítaca. Hoje os deuses são outros e o humanismo encontra-se à deriva. É urgente regressar a esse lugar onde nunca estivemos. Assim, de cada um dos seus 24 cantos, retirámos uma frase – o ponto de partida de cada autor. Não se deu qualquer tema ou contextualização, apenas essa frase sem origem e sem destino. Há autores que partem do mesmo porto, sem o saber. Será fascinante descobrir o resultado de cada uma dessas jornadas, identificar encontros inesperados e possíveis desencontros, geografias e heróis improváveis. A nossa Ítaca tem a forma de pudim e, se a escutarmos atentamente, talvez um NÃO ecoe na Aurora de um amanhã próximo."

Pages

Toggle collapsible region

desenvolvido por white imago