Notícias

Arraial Solidário

O Carpe Diem acolhe no próximo dia 20 Junho, ao final da tarde, um Arraial Solidário, no âmbito da celebração dos 25 Anos da Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV).
O arraial irá decorrer no espaço do jardim do palácio e, além de música e animação, vai contar com diversos petiscos.
A entrada tem o valor de 3€, com direito a uma bebida. O valor angariado irá reverter para a APAV.
APAV, 25 anos a dar voz ao silêncio.

Exposição PHotoEspaña no Carpe Diem publicada no EL PAÍS

Tras cuatro años de ausencia, PHotoEspaña vuelve a visitar Lisboa. El más importante festival español de fotografía tenía ya como costumbre instalarse bajo los altos techos del Museu Coleção Berardo, en la lisboeta freguesia de Belem, con exposiciones como la de Collier Schorr, en 2010, o la del multifacético Alfredo Jaar, en 2011, compartiendo espacio con piezas de Warhol, Cesariny, Picasso, Dalí, Diego Rivera, Duchamp, Magritte o Francis Bacon, colección que reúne el museo de forma permanente.

En su decimoctava convocatoria, PHotoEspaña se ha propuesto acercarnos a la fotografía latinoamericana, una difícil tarea por lo que tiene de quebradizo el propio concepto Latinoamérica. Los organizadores, conscientes de lo inabarcable y lo accidental de esta tarea, aseguran que de lo que se trata es de “presentar una plataforma que muestre las confluencias, bifurcaciones y contradicciones del medio fotográfico en este territorio”. Este año, las exposiciones fotográficas se trasladarán a dos espacios bien distintos. Por un lado, la Fundação Dom Luis I, en la localidad de Cascais, a unos 30 kilómetros de Lisboa, acogerá la única exposición que no contará solo con autores latinoamericanos: una retrospectiva del fotógrafo húngaro Nicolas Müller. Por otro lado, el grueso de exhibiciones tendrán lugar en un escenario mucho más céntrico: el Carpe Diem Arte e Pesquisa.

La inauguración del PHotoespaña en Lisboa corrió, el pasado 30 de mayo, a cargo de Carpe Diem. Un gran número de artistas, entre ellos el pintor español Carlos García Alix, acudieron una cita que coincidía con el sexto aniversario de la galería. Seis años como centro de arte alojado en un palacio que perteneció al famoso estadista Marqués de Pombal en el siglo XVIII, en pleno centro lisboeta. Exposiciones fijas y temporales, residencias artísticas, conferencias, proyectos didácticos y, durante todo el mes de junio y casi todo julio, PHotoEspaña 2015.

Fotografías de Mariano Rennella expuestas en la galería Carpe Diem, en Lisboa. / CÉLINE DOUKHAN

Según la comisaria, Pilar Soler, responsable de la exposición Instantáneas: fotógrafos latinoamericanosen la Carpe Diem, la cita contará con los trabajos de “nueve fotógrafos latinoamericanos cuyas obras forman parte de la propia colección de Carpe Diem. Además, cuatro de esos autores realizarán trabajos expresamente para el festival PHotoEspaña en Lisboa, que serán los brasileños Albano Afonso y Ding Musa, el argentino Mariano Rennella y el peruano Martín Guerra”. Los otros cinco fotógrafos cuyos trabajos ya pertenecen a pasadas residencias artísticas en la galería lisboeta, y cuyas obras estarán expuestas hasta el 25 de julio, son Julia Kater, Paula Scamparini, Marcio Vilela, Christina Meirelles y Helena Martins Costa.

Soler es también la comisaria de una exposición simultánea que ya podemos ver en la galería Slow Track de Madrid. Desde el pasado 28 de mayo presenta Estudio cromático para o azul, del brasileño Márcio Vilela, “un ambicioso estudio sobre el color azul del cielo en el que el artista utiliza la fotografía y la performance con una clara ambición científica”.


Fonte: http://elviajero.elpais.com/elviajero/2015/06/16/actualidad/1434448216_9...

Inscrições abertas para workshop com Paula Scamparini

Estão abertas as inscrições para o workshop PAISAGEM COMO DISPOSITIVO com Paula Scamparini. De 15 a 17 de Julho no Carpe Diem.

"Neste encontro serão levantadas questões acerca do tema Paisagem, a sua formulação e emprego correntes, a fim de alargar as possibilidades de elaboração de ideias a partir deste conceito e do que ele representa. Será proposto um exercício prático a ser elaborado in loco"

+ detalhes

60/3 Concertos Improvisados | Sirius

Sexta, 19 Junho, 2015 - 19:00

Cafetaria do Carpe Diem, sexta-feira dia 19 de Junho às 19h.

Yaw Tembe | trompete
Francisco Trindade | percussões

O nome Sirius não podia ter melhor aplicação do que esta de designar o duo constituído pelo trompetista Yaw Tembe e pelo percussionista Monsieur Trinité (Francisco Trindade). E isso porque, tal como a música do mesmo, identifica uma ilusão dos sentidos. Desde a Grécia antiga que referimos a mais brilhante estrela do céu nocturno como tal, só com a sofisticação dos observatórios os astrónomos tendo descoberto que se trata, na verdade, de um sistema estelar binário, constituído por uma A1V e por uma anã branca muito próximas uma da outra.
Com recurso a delays e loops, o músico da Suazilândia radicado em Lisboa, e que nesta cidade começou por se distinguir como um artista de rua, desmultiplica-se em várias presenças no espectro sonoro – reflexos de si mesmo reflectindo outros reflexos, tal como no “Crystal World” do escritor de ficção científica J.G. Ballard.

Esse cintilar prismático é adensado pelos címbalos e objectos metálicos do português que já foi parisiense, figura consagrada da improvisação nacional com uma continuada actividade que remonta aos Plexus de Carlos “Zíngaro” e que passou por várias formações de um outro homem do trompete, Sei Miguel.

“A abordagem deste Sirius terrestre é feita de ecos e reminiscências, remetendo-nos para o Miles Davis eléctrico da década de 1970 e para o mais recente, e mais electrónico, Jon Hassell. Sobretudo, vem no rasto do psicadelismo norte-americano e da kosmische musik alemã, se bem que com uma mediação reconhecivelmente jazzística. É uma música de contrastes, quente e fria, orgânica e espacial, terrosa e feita da matéria dos sonhos. Simples, e até elementar, nos processos, mas complexa e subtil nas consequências.
Uma surpresa muito bem-vinda no cenário das músicas criativas que por cá se fazem, furando a muralha de conformismo que ainda teima em tolher-nos os movimentos…”, Rui Eduardo Paes.

Evento no facebook: https://www.facebook.com/events/747430225379477/

Rever, Fotografias de Gabriela Machado

A Sala de Leitura Paulo Reis recomenda o livro mais recente de uma das nossas artistas, Gabriela Machado, quem participou no 7º Programa de Exposições do Carpe Diem Arte e Pesquisa. 

A artista plástica Gabriela Machado lança o primeiro "Livro-Instagram", constituído por pinturas e fotografias a partir da aplicação para smartphones. "Rever" reúne imagens que narram experimentos fotográficos paralelos à pesquisa em pintura da artista.

Foi em 2011, a partir da residência no Carpe Diem, que Gabriela Machado começou este processo criativo agora transformado num livro, inédito em Portugal.

Este foi o resultado de uma parceria entre as editoras Madalena e Terceiro Nome. A publicação foi lançada inicialmente em Paris na última edição do Paris Photo e acabou de ser lançado em Abril deste ano na feira SP-Arte, em São Paulo.

 

Outros livros da mesma autora na nossa colecção: Gabriela Machado; Gabriela Machado. Desenhos; Doida Disciplina; Gabriela Machado. Color Plates

Drink & Draw com Catarina Leitão

Quarta, 17 Junho, 2015 - 19:00

DRINK & DRAW / DESENHO na CAFETARIA do Carpe Diem CADERNOS DE CAMPO: ESTUDOS DE BOTÂNICA com Catarina Leitão.

Neste Drink & Draw vamos desenhar espécies botânicas recolhidas no jardim do Carpe Diem, recriando a ideia de Caderno de Campo das ciências da natureza. Serão propostos pequenos exercícios de observação e  composição com vários materiais.

Materiais: Tinta da china  e/ou aguarela, pinceis, caneta de aparo, outros riscadores e caderno, diário gráfico ou sebenta.

 

Catarina Leitão (Estugarda, 1970)

Com um percurso entre Lisboa e Nova Iorque, Catarina Leitão é uma artista cuja obra é estruturada em torno do desenho, a escultura, a instalação e o livro. Leitão tem exposto o seu trabalho em locais como a Galeria Carlos Carvalho, P.S.1/MoMA, Aldrich Museum, Connecticut, Socrates Sculpture Park, Wavehill, Glyndor Gallery and Grounds, Andrea Rosen Gallery, Michael Steinberg, Galeria Pedro Cera e Bronx Museum entre outros espaços. Conta com exposições individuais na colecção Berardo e no CAMJAP da Fundação Calouste Gulbenkian. Entre prémios e residências destacam-se The New York Foundation for the Arts Fellowship, 2009, Center for Book Arts, 2007, Triangle Arts, 2006, Sharpe Foundation, 2004, Lower Manhattan Cultural Council, 2003, Pollock-Krasner Foundation Grant, 2001, Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação Luso-Americana. Leitão tem um mestrado pelo Hunter College (2000), e concluiu o curso de Pintura na FBAUL (1993).

www.catarinaleitao.net

Imagem: Fotografia de Jorge Colombo

 _________________________________________________________________

O Drink & Draw é uma iniciativa que promove o enconro entre artistas e público em geral, num ambiente descontraído, com o objectivo de pensar sobre a prática contemporânea do desenho. Com o apoio e selecção de Marta Ramos (www.martaramos.weebly.com), de Maio a Julho iremos contar com 5 sessões acompanhadas por 5 artistas diferentes. Pretende-se, assim, que cada artista apresente o seu trabalho através de exercícios lançados aos participantes, expondo o seu ponto de vista sobre o desenho. As respostas aos exercícios colocam-nos a todos, artista e público, num diálogo participativo e lúdico.

//

CALENDÁRIO DRINK&DRAW: 20 de Maio - Jorge Leal (www.flickr.com/people/jorgeleal)

2 de Junho - Sara Bichão (www.sarabichao.com/)

17 de Junho - Catarina Leitão (www.catarinaleitao.net/)

1 de Julho - Susana Guadêncio (susanagaudencio.com/)

15 de Julho - José Batista Marques (www.josebatistamarques.com)

 

As sessões começam às 19h e têm a duração de 2h.

Preço por sessão: 7€

Na cafetaria do Carpe Diem: Rua de O Século 79, Bairro Alto + informações www.carpe.pt

educa@carpe.pt

Exposición de artistas latinoamericanos de Carpe Diem 28 Mayo - 15 Julio

Quinta, 7 Maio, 2015 - 14:45

Esta exposición forma parte de la muestra Instantânea: Fotógrafos latino-americanos da colecção Carpe Diem que se estará presentando simultáneamente en el Centro de Arte Carpe Diem en Lisboa en el marco del festival PhotoEspaña 2015. Las dos iniciativas comparten el mismo concepto y son ambas consecuencia de la participación de los artistas en la colección del centro luso.
A lo largo de 6 años el Centro de Arte Carpe Diem ha creado una colección de más de 130 piezas fruto de la colaboración directa entre Carpe Diem y todos los artistas que han expuesto aquí, dando un sentido de continuidad al proyecto de comisariado que cuenta con residencias artísticas que, a su vez, culminan en una exposición.
La colección acoge a los siguientes 9 fotógrafos latinoamericanos: Marcio Vilela, Albano Afonso, Julia Kater, Paula Scaparini,, Ding Musa, Christina Mirelles, Martín Guerra, Mariano Rennella y Helena Martins Costa. Sus obras se presentan como un conjunto de trabajos reflejando la diversidad de la fotografía latinoamericana contemporánea, que posiciona a Carpe Diem como centro de producción artística plural.
Dado nuestro interés por la diferencia notable que hay entre todos los trabajos, y para subrayar precisamente la coexistencia en el panorama actual, decidimos no acotar el espacio expositivo y mostrar algunos proyectos individuales de los artistas cuyas obras pertenecen a nuestra colección. De este modo reflejamos un contexto real en el que convergen diversos intereses expresados en fotografía.
En colaboración con la galería Slowtrack y en su sede de Madrid, presentamos, además de las piezas de los artistas latinoamericanos de la colección Carpe Diem, el trabajo del fotógrafo Marcio Vilela (Brasil) Estudo cromático para o azul, que utiliza la fotografía, la documentación y la performance de manera científica.

Photoespaña regressa a Portugal com exposições no Carpe Diem em Lisboa

Quarta, 7 Maio, 2014 - 15:15

No dia 30 de Maio, data em que o Carpe Diem Arte e Pesquisa celebra seis anos, inaugura-se a colectiva Instantânea: Fotógrafos latino-americanos da colecção Carpe Diem.

Na sua décima-oitava convocatória o PHotoEspaña apresenta uma secção monográfica dedicada à fotografia latino-america, dando continuidade ao projecto iniciado em 2014 de abordagem a uma área geográfica específica.



Conscientes de que a extensão e riqueza histórica, cultural e criativa de tão amplo território tornam inviável uma apresentação enciclopédica, queremos antes propor uma aproximação que revele as confluências, bifurcações e divergências das propostas artísticas em fotografia desse território.

A direcção artística do festival está a colaborar com comissários externos na elaboração de um programa de expositivo de mostras monográficas de autores consagrados assim como de fotógrafos de gerações mais recentes o que proporcionará uma visão incomum e contrastante dos usos da fotografia.

Adicionalmente, o programa de exposições irá incidir sobre o desenvolvimento e a complexidade da fotografia latino-americana, das suas origens à actualidade, recolhendo visões transversais assim como propostas temáticas e de contexto. Nalguns casos estas leituras partirão de selecções efectuadas em importantes colecções internacionais, especialmente vocacionadas para a actual explosão da arte latino- americana, o que possibilitará a apresentação de um amplo conjunto de autores. De entre eles, Albano Afonso (Brasil) apresenta a série A Vitrine com Pássaros, que revela o seu interesse pela luz e a forma como esta determina a visão, no limite entre o fotográfico e o pictórico. Ding Musa (Brasil) exibe o trabalho abstracto Limite, que questiona a ideia de infinito e a perda de referente quanto ao que é bidimensional e tridimensional. Mariano Rennella (Argentina) apresenta a série Niebla, onde joga com a ilusão, o apenas percebido, o aparente e o sublime. Martín Guerra (Perú) questiona, de um ponto de vista irónico, a representação da natureza e do ambiente com a série Naturalezas varias.

 

Fonte: artecapital.net

Fotografia: PHotoEspanhã 2015

Instantânea | PHotoEspaña 2015

Sábado, 30 Maio, 2015 - 17:00

Instantânea | Fotógrafos latino-americanos da colecção Carpe Diem 

Ao longo de 6 anos o Centro de Arte Carpe Diem criou uma colecção composta de mais de 100 peças, resultantes da colaboração entre os artistas e o Carpe Diem, dando-se desta forma continuidade ao projecto de comissariado de residências artísticas que culminam numa exposição. 

Contamos, na nossa colecção, com o trabalho de oito fotógrafos latino-americanos: Albano Afonso, Julia Kater, Paula Scamparini, Marcio Vilela, Ding Musa, Christina Meirelles, Martín Guerra, Mariano Rennella e Helena Martins Costa.

Convidámos quatro fotógrafos de diferentes países da América Latina, cujos trabalhos fazem parte da colecção do Carpe Diem, para exporem trabalhos que estarão disponíveis para aquisição no Carpe Diem durante o período da exposição.

Edições Carpe Diem

Albano Afonso (Brasil) apresenta a série A Vitrine com Pássaros, que revela o seu interesse pela luz e a forma como esta determina a visão, no limite entre o fotográfico e o pictórico. Ding Musa (Brasil) exibe o trabalho abstracto Limite, que questiona a ideia de infinito e a perda de referente quanto ao que é bidimensional e tridimensional. Mariano Rennella (Argentina) apresenta a série Niebla, onde joga com a ilusão, o apenas percebido, o aparente e o sublime. Martín Guerra (Perú) questiona, de um ponto de vista irónico, a representação da natureza e do ambiente com a série Naturalezas varias.

www.phe.es

60/3 Concertos Improvisados | Catapulta

Sexta, 10 Abril, 2015 - 19:00

Projecto a solo de Boris Martins Nunes (electrónicas e instrumentos tradicionais transformados).

Catapulta é construída num terreno baldio na Alemanha em 2012, e é um mecanismo de cerco que utiliza uma espécie de braço para lançar objectos a uma grande distância, evitando assim possíveis obstáculos como muralhas e fossos.

Pode haver concertos intimistas ou concertos de alguma dureza sonora; improvisados ou planeados... músicas simples que primam pela repetição e pela camada sonora de vários pequenos instrumentos!

Nestas viagens, Catapulta apresenta-se com alguns pedais de efeitos, um bouzouki (baglamas) e outros instrumentos não convencionais.

O nome Catapulta é derivado do grego καταπάλτης, composto de κατά "abaixo, contra" e πάλλω "vibrare".

https://soundcloud.com/borismartinsnunes
http://terapiadoruido.wordpress.com

 

O concerto tem a duração de 60 minutos.

3 euros da entrada revertem a favor dos artistas convidados.

Adira ao evento no Facebook

Pages

Toggle collapsible region

desenvolvido por white imago